a vida seria uma bobagem sem essas bobagens


segunda-feira, 4 de julho de 2011

To de saco cheio...

... chega, deu pra mim (8)



Entre tantas doses de veneno, dos mais mortais desfrutados foi da falácia 'família'.
Defina então o que esses laços de sangue tem de tão especiais sendo que no momento mais importante, nenhum deles faz a diferença.
Amizade escolhida pelo destino ou eterno sobrenome a carregar?

Devo admitir que entre aqueles e estes, alguns realmente fazem jus ao que dizem por aí. Mas outros, porém, parecem ter como fardo a possibilidade de qualquer coisa além de 'meros laços de sangue'.

E afinal, porque não amigos e melhores amigos serem chamados de família? Desde sempre é com eles que conto quando as coisas realmente parecem sem saída, e jamais estive sozinha, mesmo que a estrada tenha tido subidas e descidas.
Enquanto outros ali, até diziam, só faziam o que estavam designados a fazer.

Não preciso de dó, piedade ou de misérias de atenção, sem o mínimo afinco e desejo.
Cansei da hipocrisia do sorriso nas fotos, mas quem é mesmo aquele ali? Nenhum deles sabe quem sou, ou sequer se importa.
Ou tem um jeito muito estranho de dizer que faz algum diferença eu continuar respirando.

De qualquer jeito, o meu enfia no cu de hoje vai para essa hipocrisia de ter sempre que se apoiar no pilar família e que amigos são relativos e provisórios.
Pilar família já falhou e prejudicou muito e eu realmente tenho que rever conceitos de provisório quando a média de anos de amizade com meus melhores amigos é mais ou menos 4 anos, considerando desde que nos conhecemos como ponto inicial.


Estranha boa sensação de sempre ir contra o bom senso-comum.

Um comentário:

Jéssica Lorena disse...

Oii.. Muié muito legal teu blog!!
:D
Passa depois no meu:
http://amagarea.blogspot.com
xerim