a vida seria uma bobagem sem essas bobagens


quarta-feira, 15 de junho de 2011

E se não for pedir demais...

... bola pra frente (8)



Entendam que o mal que eu fiz a mim mesmo é praticamente o mal que fiz a você.
Desculpe, eu não tive a capacidade de fazer ninguém feliz. 

Não foi intencional e muito menos meu desejo, eu só não tenho essa doce capacidade. Eu magoo a mim mesma, quem dirá os demais.

Triste garota da cidade, que por ter tudo o que desejava ter, acabou por se ver sem nada e sem saber o que queria ao certo. Agora nem lágrimas, nem sorrisos.
Vazio, sombras e uma pulsão de morte que se esvai deixando o nada como melhor amigo.
Que seja assim, porque de vazia eu me faço forte e nada mais importa.


Amanhã vamos rir de tudo isso.

Um interesse a mais, e todos os sonhos ao chão.
Viver de amor e para ser feliz, fazer o que ama e não o que é necessário. Jamais novamente, somente viver como manda tudo e todos.
Agradar ao mundo e ter o que o mundo diz me agradar, chega de ilusões e de olhos castanhos brilhando em um momento qualquer.
Não existe um tempo para nada, pq no final, nada vale meu tempo perdido. 

Final dramático de um capítulo a mais, quem sabe amanhã eu não acordo sonhando novamente? Hoje só quero ir dormir.

Eu preciso beber qualquer coisa, eu me lembro que eu não bebo, o que só nós dois sabemos nós sabemos que é segredo, e eu que não bebo pedi um conhaque pra enfrentar o inverno que entra pela porta que você deixou aberta (quando eu pedir para você sair).

O que não tem fim sempre acaba assim.

Hoje é a ultima vez que você fala comigo, sua ultima despedida.
Apenas um boa noite.

Nenhum comentário: