a vida seria uma bobagem sem essas bobagens


quarta-feira, 22 de junho de 2011

Se nada faz sentido...

... há muito o que fazer (8)

(acho que esse foi meu pior post)



Por mais que eu tente releva e esquecer os erros, os sonhos sempre acabam sendo os mesmo pesadelos, de que adianta você dizer que se importa...?

As vezes Nx Zero fala mais sobre mim do que eu esperava, as vezes meu pai de coração da mais conselhos do que eu posso suportar. Tem dias que eu só quero ouvir qualquer música ruim e fingir que não me importo.
Fico me perguntando de que adianta julgar tanto a conduta das pessoas se elas simplesmente estão felizes do jeito que são. Ok, ela se veste mal e sequer consegue falar 'POBLEMA, POBREMA', mas aposto que de noite, quando coloca a cabeça no travesseiro sorri pelo dia que teve.

E eu, que vivo a risca e a margem, equilibrando entre trilhos do trem, não sei se posso deitar a cabeça hoje no travesseiro e sorrir pelo dia que vivi.
A noite começou a consumir a paz que meu coração encontrou quando um toque hostil feriu meu corpo, mais uma vez, e de repente a noite estrelada ficou tão fria e distante que eu só quis a paz.
Estou quase desistindo de esperar o tempo que me propus, não adianta, nada muda.

O toque hostil feriu na hora, mas as marcas vermelhas não são mais visíveis, mas agora outros machucados se abriram, e o que era amor se converte pouco a pouco.
Dói saber que estou tão longe da melhor época da minha vida, mas o que me consola é que eu descobri que tenho um novo sonho.

Eu vou morar em PoA, e nada me impedirá disso. 

Sei que hoje não sairam palavras bonitas, mas as sombras voltaram e por mais que agora elas não me afetem como antes, por mais que eu saiba como sair delas, é inevitavel não me machucar.

Se o tempo não for mais voltar
Boa noite Cinderela

quinta-feira, 16 de junho de 2011

Não tem parada errada não...

... no olho do furacão



A primeira coisa que eu tenho a dizer: não precisa ficar off, eu vejo você como "on".

Há dez minutos atrás estava em um estado de desespero tão grande que achei que iria abrir uma janela, falar tudo o que queria e depois perguntar se ainda era tarde demais para voltar atrás e fazer o certo, permitir as lembranças do futuro.
Agora eu quero que vá Jacob, Edward, Damon e Stefan tudo de mão dadas para o INFERNO.

Chega de me sentir doentia, vou me livrar disso e realmente, quem vai correr para longe agora sou eu, longe de tudo e mais ainda, longe dessa maldição de felicidade que eu coloquei para mim.
Cansei. Cansei. Cansei.

Eu disse que te amava e continuo te amando, ter convivido comigo deve ter quase matado você.

quarta-feira, 15 de junho de 2011

E se não for pedir demais...

... bola pra frente (8)



Entendam que o mal que eu fiz a mim mesmo é praticamente o mal que fiz a você.
Desculpe, eu não tive a capacidade de fazer ninguém feliz. 

Não foi intencional e muito menos meu desejo, eu só não tenho essa doce capacidade. Eu magoo a mim mesma, quem dirá os demais.

Triste garota da cidade, que por ter tudo o que desejava ter, acabou por se ver sem nada e sem saber o que queria ao certo. Agora nem lágrimas, nem sorrisos.
Vazio, sombras e uma pulsão de morte que se esvai deixando o nada como melhor amigo.
Que seja assim, porque de vazia eu me faço forte e nada mais importa.


Amanhã vamos rir de tudo isso.

Um interesse a mais, e todos os sonhos ao chão.
Viver de amor e para ser feliz, fazer o que ama e não o que é necessário. Jamais novamente, somente viver como manda tudo e todos.
Agradar ao mundo e ter o que o mundo diz me agradar, chega de ilusões e de olhos castanhos brilhando em um momento qualquer.
Não existe um tempo para nada, pq no final, nada vale meu tempo perdido. 

Final dramático de um capítulo a mais, quem sabe amanhã eu não acordo sonhando novamente? Hoje só quero ir dormir.

Eu preciso beber qualquer coisa, eu me lembro que eu não bebo, o que só nós dois sabemos nós sabemos que é segredo, e eu que não bebo pedi um conhaque pra enfrentar o inverno que entra pela porta que você deixou aberta (quando eu pedir para você sair).

O que não tem fim sempre acaba assim.

Hoje é a ultima vez que você fala comigo, sua ultima despedida.
Apenas um boa noite.

quinta-feira, 2 de junho de 2011

Acabando...

... o que nunca tem fim. (8)


Rreviver o blog as vezes me da medo, parece que sempre tenho que trazer alguma coisa que realmente valha a pena, como se os ultimos dias tivessem sido um lixo.
Mas uma hora nós temos que levantar, limpar a poeira e caminhar afinal está anoitecendo e a estrada fica mais perigosa a noite.

Essa Highway cheia de curvas e de buracos, silênciosa, perigosa.

Engraçado observar o horizonte novamente, sem que a montanha de dor e mágoa esteja entre ele e meus olhos nostalgicos, o mundo continuou girando e parece que a frente existem coisas muito melhores do que eu imaginava.
Sinceramente não sei se é o alto da montanha ou se ela simplesmente sumiu de meu caminho, mas parece que dos dois jeitos tudo ficou para trás. Um tudo que sempre fará parte de mim.

Parece estranho conversar com alguém que sempre pareceu fazer tão bem de uma forma tão distante, parece que as coisas mudam e eu ainda tento me equelibrar no alto dessa corda bamba.
Cair significa ter que voltar ao zero, e eu não sei se posso aguentar uma nova reconstrução.

No mais, é assim, vivendo e derrapando nas curvas da Highway.