a vida seria uma bobagem sem essas bobagens


quinta-feira, 28 de abril de 2011

os dias parecem séculos...

e se parecem uns com os outros 

Preciso beber qualquer coisa, eu me lembro que eu não bebo, o que só nós dois sabemos que é segredo.
Agora sinto um medo infantil.
Não tenho medo de perder você, era só questão de dia, um dia ia acontecer.

Juro por Deus que são só trechos de música. E começou uma mais tensa ainda.
Minha trilha sonora anda um pouco deprimida, mas parece que a inversão foi total, lá fora tudo bem, mas aqui dentro brilham luzes artificiais.
Era mais fácil quando meu porto seguro batia do lado esquerdo do peito e não apenas no externo desse mundo vazio.
Faz frio na cidade inverno, e parece que o inferno foi embora para voltar apenas no brinde da primavera.

Tempos frios, perigosos e tristes.

Eu nem sequer lembro como era me sentir especial aos olhos de alguém, e como era acreditar que o mundo girava em ritmo lento e perfeito.



Queria que tudo desse certo, queria que voltasse a ser como antes.
Ou ter passado reto na escada naquele dia.
Só queria saber que alguém que eu amo, agora, estaria feliz como jamais foi.

Já fui tantos erros na vida de tantas pessoas.

Acho que no final minha existência se resumiu a grandes erros, o que sou.

Não adianta insistir, quando tudo o que fazemos insiste em dar errado o melhor a fazer é sentar e observar o fim do mundo.
Boa noite, Cinderela.

Nenhum comentário: