a vida seria uma bobagem sem essas bobagens


quinta-feira, 28 de abril de 2011

os dias parecem séculos...

e se parecem uns com os outros 

Preciso beber qualquer coisa, eu me lembro que eu não bebo, o que só nós dois sabemos que é segredo.
Agora sinto um medo infantil.
Não tenho medo de perder você, era só questão de dia, um dia ia acontecer.

Juro por Deus que são só trechos de música. E começou uma mais tensa ainda.
Minha trilha sonora anda um pouco deprimida, mas parece que a inversão foi total, lá fora tudo bem, mas aqui dentro brilham luzes artificiais.
Era mais fácil quando meu porto seguro batia do lado esquerdo do peito e não apenas no externo desse mundo vazio.
Faz frio na cidade inverno, e parece que o inferno foi embora para voltar apenas no brinde da primavera.

Tempos frios, perigosos e tristes.

Eu nem sequer lembro como era me sentir especial aos olhos de alguém, e como era acreditar que o mundo girava em ritmo lento e perfeito.



Queria que tudo desse certo, queria que voltasse a ser como antes.
Ou ter passado reto na escada naquele dia.
Só queria saber que alguém que eu amo, agora, estaria feliz como jamais foi.

Já fui tantos erros na vida de tantas pessoas.

Acho que no final minha existência se resumiu a grandes erros, o que sou.

Não adianta insistir, quando tudo o que fazemos insiste em dar errado o melhor a fazer é sentar e observar o fim do mundo.
Boa noite, Cinderela.

sábado, 23 de abril de 2011

To de saco cheio...

chega deu pra mim...

Chega a ser fantástica a capacidade que as pessoas tem de repetir os mesmos erros seguidas e várias vezes.
Pleonasmo a parte, como um ser humano dotado de inteligência pode conserguir ser tão idiota a tal ponto.

Cansei.

Não quero mais essa Bella que valoriza tanto as pessoas que não se importam, que não querem saber.
Essa idiota que sai de Campinas contra sua vontade para ver um showzinho de amigos que não estão nem aí, para encontrar amigas que não se importam.
Uma burra que realmente mereceu chegar em Franca e perceber que as pessoas, no final das contas, nunca se importam de verdade.

E sabe aquele segredo que eu ia te dizer? Era que desistiria de tudo se vc quisesse.
O que isso tem haver? Nada, mas afinal, precisa ter haver de fato para que faça sentido?

Velhas amigas de milhares de anos, prefiro amizades sinceras de um final de semana.
Velhos amigos de milhares de anos, prefiro alguém que pelo menos consiga cumprir com combinados.
Faz diferença para alguém? É claro que não, nunca vi nenhuma dessas pessoas sair machucada no final das contas.

Chame de exagero, diga que é bobagem...

Meu ego, superego e até mesmo meu ID me contaram tranquilamente em meus pesadelos devastadores que a noite de quinta foi a saideira dessa vida.
Da próxima vez só Whisk escocês, com muito gelo em qualquer lugar que tenha pelo menos caideras.
E seres que sentem.

E sabe o que mais? Reviva velhas amizades de quem fez um futuro que ainda passa por meus pensamentos, ou passava, desaparecer.
Dia 09-12, a data da noite inferno. Ela se repete com tanta frequencia na minha vida que as ânsias de vômito e as lágrimas cortantes ainda não me deixaram.
Cansei de Flash Backs com essa mesma música.

Você nunca se arrependeu, não será uma dívida eterna a pagar.

Cansei de ser aquela procurada quando tudo da errado.
Uma boa noite para você mas, quando chegar no fundo do poço, eu posso até ser sua Samara, só que não vou te ligar nem em 7 dias.

Por fim aproveitem, esse é o último dia que choro por supostos amigos que sequer sabem o que essa palavra significa.

segunda-feira, 18 de abril de 2011

Meias verdades noites inteiras

bebendo bobagens, pensando besteiras .

E aquela sensação de jamais querer levantar, esquecer do mundo e dormir até que nada mais reste.
Abrir vagarosamente os olhos e observar o relógio a sua frente, mas ignorar qualquer sinal de ter percebido que horas eram.
Se já era para ter despertado.

Não adianta, tanto a realidade quanto os sonhos devastam com suas mentiras.

Enquanto todos estão felizes e vivendo de uma forma comum, nós que nos amamos tanto não conseguimos um pouco de paz.
E coisas que antes eram tão simples agora implicam um verdadeiro esforço apenas para darem certo e mesmo assim não dão.
E hoje eu tenho hora marcada para entrar na vida da minha vida.

E mesmo implorando, eu ainda sou o plano de fundo de uma vida que acontece paralela a aquilo.

Se você não existe num mundo virtual, eu não existo, para você, no real.
Faz parte do meu show, meu amor.
E é só pensar no Humberto que ele surge das cinzas do meu dia, publica na timeline, que é máximo perto que chegarei dos pensamentos dele.
Mal sabe ele que alguém, do outro lado da tela, pensa nele com todo o carinho e sonho.
Ele é meu motivo.

Será mesmo que é tão difícil assim viver e continuar feliz, não haverá um estado de felicidade eterno ou um simples final de semana que pode ser tranquilo?
Acho que sou eu que estou desiludida.
Mas passa, tudo passa na verdade, só essa vontade de viver que eu nunca consigo matar.

E se eu pudesse, gritava bem alto por ajuda, chamando um único nome.

sexta-feira, 15 de abril de 2011

Por mais que a gente cresça...

há sempre alguma coisa que a gente não consegue fazer (8)

Quase comecei esse post com uma música do Cidadão Quem, mas nunca nada pode significar tanto quando Humberto Gessinger em suas canções.

tantas faces, todas na trilha sonora da minha vida
Parece que meu passado voltou rasgando em uma trágica noite de quinta feira.

Fantasmas que não be abandonam, mas não são os mesmo fantasmas que o Humberto Gessinger fala.
São preticamente assombrações.

Queria tanto que meu passado ficasse preso em uma caixinha que eu pudesse ter sempre comigo, mas jamais lembrar que existe.
Longe de mim.
Claro que não deixaria de fazer ou modificaria nada do que fiz, aliás, acho que ninguém deveria querer que seu passado mudasse.
Não desafiaria a sorte de não estar sentada agora ao lado do melhor amigo de meu namorado, com ele me abraçando, enquanto do outro lado da tela e e o Guilherme definimos a trilha sonora de um sonho.
E devo admitir, depois que meu passadoficou para trás, o melhor que me aconteceu foi conhecer o Guilherme.

Ah sim, o passado ficou para trás dia 03/04/2009, mais conhecido como a sexta-feira que conheci o Sirius.

Parece que anda tudo caminhando na mais perfeita paz, e usando um termo que o Gui fala, eu to em paz.
Isso é raro, isso é bom.

Ilex Paraguariensis e um pouco de  , temos a trilha sonora de uma vida e de um sonho... e eu tenho sonhado com rostos distantes que queria por perto. Somos o que há de melhor.

Leve-me contigo: perca-se comigo

quarta-feira, 13 de abril de 2011

Um dia super...

Uma noite super, uma vida superficial ♪

O ônibus parou em um ponto qualquer e eu observei calmamente a ferrugem que formava um desenho de passarinho e um sorriso por baixo.
Interessante como aquele pequeno detalhe me levou a pensamentos confusos e uma simples segunda feira da cidade inverno.
E a quantas anda tudo aquilo que eu acreditava, tanto medo de uma nova frustração.

Não importa, parecem os dias mais felizes da minha vida depois.

Vale a pena quando tem alguém ou alguéns ali por você... e que você pode gritar, chorar, desejar que o mundo acabe, nada muda o fato deles estarem ali, segurando sua mão ou falando para você largar de ser idiota.
1 ano e 10 meses com meu pai sabendo que estou ao lado de quem, desde 2 anos atrás, eu sei que quero para o resto da vida.

Sabe que quando fiz esse post mentalmente ele ficou muito mais poético do que isso, mas de que adianta a inspiração vir quando eu to dentro de um ônibus lotado? Na frente do computador eu esqueço de tudo, fica tudo banal.

O som da chuva me indica que fará frio na cidade inferno e que de tão inferno virou minha casa.
E que de tão inferno me trouxe um novo sopro de eu, sem resistir a velha essência de antes, e aquela velha sensação de que meus amigos irão me deixar.

Estranha sensação boa de prever o passado.

Graças a esses amigos meio io-ios, agora tenho um medo cômico de me apegar as pessoas, mas como tudo para mim é paradoxal, estou completamente dependente.
Talvez seja mais ou menos o que Freud fala sobre inversão ou um outro processo que esqueci o nome, as coisas acontecem ao contrário no desejo realizado.
Mas qual é mesmo meu desejo? E ele não fala isso nos sonhos?


Ah sim, sonhos... Sonhei com o Guilherme essa noite, a gente desencontrava. Eu sei que Freud explica, pq até eu consegui explicar.

Eu tive um sonho, há muito não sonhava...

http://www.sempreler.com.br/ ~> acessem, ótimos preços e ótimos livros...

sexta-feira, 8 de abril de 2011

Hey, garota...

... o dia já passou, não deixe a noite passar
Passe um batom, ou não, e vá se divertir
Você vai descobrir quem é clone de quem ♪

meio pai, meio ídolo. meio eu.

Começo o post com um fato: eu to com saudades do Guilherme.
A vantagem de estabelecer amizades pela internet é que a vida on-line te ensina a lidar com a pessoa ali mesmo, sem aquele vácuo da conversa quando vc fala no msn com a amiga que você deu tchu há 1h.
A vantagem de ser eu na vida on-line é que consigo ter assunto com quem quero na hora que quero, a questão é a vontade de falar com algumas pessoas.

Eu não sei se me apeguei rápido demais a pessoa certa ou cedo demais a pessoa errada...
As duas opções assuntam, mas a primeira é bem mais feliz. Muito mais.
No final das contas é aquele momento que eu peço a Deus para que não me deixe ser frustrada novamente, as pessoas hoje em dia andam tão esquecidas de que as outras também tem coração.

Não é específico para ninguém, mas parece que aos poucos nossa importancia vai se desgastando com o tempo, no final das contas nem o bom respeito significa alguma coisa. Parece que tudo se perde no vácuo.
E aquela vontade de mandar um e-mail para o ídolo, hora mandando a puta, hora falando o quanto ele mudou sua vida.
De que adianta, o Humberto nunca vai responder. Ele nunca responde, sou eu que escuto sua voz no vazio da noite dizendo qualquer coisa cantada, só para poder secar as lágrimas e dormir em paz.

Será que só eu que não me toco que o lugar da Ana na vida dele é bem diferente do que o que eu desejo?
Eu sequer quero saber de histórias de amor... Eu só quero a cura.
Um pouco de tranquilidade, acordar com o sol batendo na parede do meu quarto e não ter essas sensações confusas.

Estranha sensação boa de nunca saber o que fazer.

quinta-feira, 7 de abril de 2011

Sempre em frente...

foi o conselho que ela me deu ♪
Tinha tantas coisas para falar ontem de tarde, mas a maldita prova de fenomenologia me impediu por alguns momentos. Hoje já não lembro o porque, mas ainda lembro das coisas.
Queria falar sobre meu anviersário de namoro, falta um mês para 2 anos, hoje, na verdade, 30 dias.
Também queria registrar que nunca pensei que as pessoas da minha faculdade me vissem como iguais a elas, mas veem. 
Sabe, eu sempre tive o fiel costume de me sentir excluída e fora de qualquer lugar que estivesse, até um dia um amigo meu dizer que sem mim e minha amiga o grupo não era o mesmo.
Até outro dia a gente dar um nome com as iniciais de quem estava no grupo...
Ou até um sabádo onde nasce uma CIA Cladestina de humor... humoralistas.

Será que mais alguém se sente assim tão fora do mundo no primeiro contato? E não é se sentir especial, é se sentir excluído mesmo.
Desde criança tão fora, e aí um dia cai a ficha de que você nada mais é do que parte daquele todo.

Mimimi, eu quero minha mãe. e sabe o que é o pior? É SÉRIO.

Dois meses sem ver minha mãe, um ano sem pensar no meu sonho. O que era mesmo esse sonho?
Ah sim, brilhar nos palcos, mesmo que para ninguém. Levar emoção além de alguém que eu sou, mas sendo quem sou.
Ficar feliz e triste independente de como meu dia caminha, fazer alguém (ou alguéns) esquecer do dia infernal, da dor que não passa, ou se lembrar de um dia feliz.
Mas eu estou aqui, desvendando muito mal o que é o inconsciente, entendendo muito mal como as coisas são o que são.
Dando o meu melhor, mas meu melhor para que?
Sempre tive a certeza que Shakespeare é muito mais legal do que Freud, e que uma palco explica muito mais do que um divã, mas eu continuo aqui, engolindo a demasiada carga de informações que os professores nos jogam sem questionar o que somos.

Foram as escolhas que eu fiz, não há como voltar atrás tão só e somente porque o sonho que eu busco caminha paralelo ao sonho de atuar, eles não se cruzam... a ilha não se curva.

Pelo menos eu consigo refúgio nos livros: http://www.sempreler.com.br/

segunda-feira, 4 de abril de 2011

Sei que lá fora...





Eu não vejo justiça, não vejo porque.
Os erros e os acertos, nada importa, eu quero viver.
Não quero mais essa vida de miséria.

Vamos dar um tempo.

E como fica esse coração que já se sente tão febril desde tanto tempo.
Não faz diferença para ninguém além de mim.

Eu vou te magoar.

Como se alguém se importasse mesmo com isso.
Esqueçam então que eu sempre estou aqui para o que precisarem, não estou mais.
E se a vida de alguém der errado, problema de você que viraram as costas assim que puderam.
To cansada de ver minhas amigas e meus amigos começarem a namorar ou gostar de alguém e mudarem comigo, mas quando a vida tira todo o chão, procuram a velha Ana para se apoiarem.
Não mais.

Vamos da um tempo.

Como se eu fosse tão simples e facil assim.
E meu coração destroçado fica assim como está, nunca faz diferença.
Quantas lágrimas eu ainda terei de chorar para ser feliz por mais de um dia.
Eu quero você, mas eu quero o você que me faz sorrir.

Vamos dar um tempo.

E você sabe que as coisas vão mal quando se arrepende de não ter se matado antes.
Que seja força de linguagem, eu me sinto morta de qualquer jeito.
Estava tudo como deveria ser, e de repente fica tudo fora do lugar.
Como eu posso viver sem chão, desde pouco tempo e sempre assim.

Vamos dar um tempo.

Eu queria ter ficado sentada naquele chão até dormir.
Até não acordar mais.
As lágrimas rolam afiadas e fazem todos os machucados doerem mais, sempre mais.
O corte real em meu dedo também sangra e dói, tão pouco comparado ao que dói o resto.

Vamos da um tempo...
Não sei quem deu a sugestão
E aquele sentimento que era passageiro
Não acaba mais.

domingo, 3 de abril de 2011

Tententender a minha alegria...

 




Bom dia para você que sabe o que acordar feliz.
Mas a melhor noite do mundo para você que consegue dormir mais feliz ainda.

Ondas constantes de pura alegria e emoção invadem a maré alta que se encontra meu sorriso, meu coração se afoga enquanto todo meu corpo se rende a esse eterno ir e vir.
Olhos azuis infinitos, e então eu entendi o que significa esse infinito.
Alguém que ja esteve dentro de um sonho bom sabe o que é não querer acordar, alguém que já viveu um sonho sabe o que é não querer dormir nunca mais.
A noite parece pequena para sonhos realizados, ainda mais quando você debuta naquele estado.

A primeira vez que alguns espectadores pareciam assistir com interesse e felicidade parecida ou igual.

Longe demais ou ali, depois da curva ali, não importava.
Valeu viver por isso, e então a respota para uma pergunta tão eterna e sincera: Estamos vivos sem motivos, que motivos temos para estar?
Felicidade trouxe consigo mais do que um simples sonho assinando com uma caneta verde e bebendo chá de erva doce, mas novas amizades e um amigo que vem lá do sul.
E então estava completo.

O vazio não bate e enfim há no que se apegar, não apenas em apenas 7 palavras, mas no dono delas, que as disse com tanta certeza.
Vale a pena então.
Anoitece na cidade inferno, que desde ontem se tornou longe demais das capitais.
Um calor do cão, uma frio de matar. Tudo misturado em sons e risadas, o ápice de uma alegria conjunta.




A soma dos fatores.

O melhor sonho da minha vida (:



Que a chuva caia como uma luva, um diluvio um delírio. Que a chuva traga alivio imediato
Que a noite caia, de repente caia, tão demente quanto um raio. Que a noite traga alivio imediato.


Foi dia 1º, e olha que sacanagem de data, que então eu tive o dia mais feliz da minha vida.
Eu ainda não sei se tenho capacidade de expressar em palavras toda aquela emoção que a presença dO Cara me causou.

Quando aquela voz de chamada de aeroporto anunciou que o Humberto ia entrar, meu coração bateu tão rapido que achei que simplesmente ia criar vida própria para pedir seu autógrafo personalizado.
E então ele entrou.
O mundo caminhou lentamente enquanto eu via a pessoa que mudou minha vida entrando por aquela porta tão simples e me dizendo que tudo o que eu acredito é real. Ele estava ali.
Acho que foi o mais próximo que cheguei de um anjo de verdade.
Uma aurea acompanhava aquele tamanho de pai/alemão e ele se colocava no seu lugar de ídolo, sabendo que esqueceria logo as datas e os nomes.
Eu jamais esquecerei.

Nossa, e eu era a segunda pessoa que iria falar com ele.
Um tremor tão grande tomou conta do meu corpo que nem sabia o que fazer, e o Guilherme me pedindo calma, eu sorria.
Ainda tremendo eu me aproximei dele, e sem saber muito o que fazer o que falar, fiz o que tinha certeza que suportava, ele sorriu e eu achei que o mundo poderia acabar ali.
Realizar sonhos é tão bom.

E então eu saí da presença dele e desabei nos ombros da Cris, eu chorava e sorria ao mesmo tempo, era tão forte o que sentia que ainda tenho que segurar as lágrimas para escrever.
Era felicidade pura, emoção verdadeira. Posso dizer quer até amor de verdade.
Depois champagne e fotos. Ele deve te enxido o saco de ver minha camera voltada para ele, mas nunca se sabe quando haverá outra chance.
Só o bonitinho do Guilherme que me decepcionou, não bateu foto comigo e nem quis ir jantar ):

Ok, a justificativa dele foi boa, mas não coloco aqui por motivos de ética HAUSHUAHSUAHSUAHSUHAS

E as maiores duvidas foram sanadas, poesia é um porre no literal, apesar do HG ser poeta ele não é mt chegado em uma poesia; o grito de curtametragem é porque ele tava errando muito e irritou...
Ah sim, uma pergunta eu mesma consegui fazer: que dia a Clara nasceu.
Olha, ele teve que pensar para responder, mas eu solucionei minha duvida de 6 anos: 13-02 (:

Mas de uma coisa eu tenho certeza, se o Lucas e a Cris nã estivessem comigo não teria tanta graça assim.
Obrigada a todos.