a vida seria uma bobagem sem essas bobagens


domingo, 10 de julho de 2011

Quem salva quer salvação...

... procura como um louco procura a própria cura 



Para, se eu sou só mais um capricho, não perca seu tempo.

Meu lugar não é aqui e está distante de ser.
Para quem não tem lugar nenhum, qualquer coisa serve e nada completa, nenhum caminho leva a algum lugar e nenhum lugar te faz sentir no caminho certo.
É uma eterna viajem que nunca leva de volta para casa.

Ou andar em círculos, tanto faz.
Voltamos enfim ao início. Quando se anda em círculos nunca se é bastante rápido.

Eu digo vou mandar tudo espaço e correr para Porto Alegre, eu sei que lá está uma das poucas pessoas que me dá paz, mas na verdade eu só estou tentando me esconder de demônios maiores do que sou capaz de suportar.
E Londres não me fará esquecer.
Será que algum dia um coração ferido por encontrar paz?

O Cara me disse que o tempo cicatriza, e eu tenho fé cega nele, mas acho que to começando a ter 'fé cega e pé atrás', porque o tempo não cicatriza.
E porque se eu soubesse antes o que sei agora eu não erraria tudo exatamente igual.
Na verdade o sentimento de derrota pessoal é tão grande que minha vontade é refazer minha vida completamente.

Eu sei que isso só mais um desculpa para o que não sou capaz, para a salvação que eu não dei, e que não consegui alcançar.

quarta-feira, 6 de julho de 2011

Somos quem podemos ser...

... sonhos que podemos ter (8)


Engraçado como Glee tem me feito pensar na vida.
Desde ontem uma série de episódios tem me chamado a atenção, mas nenhum se compara com o Dream On.

Hoje descobri que não vou ver a twitcam amanhã, e sabe, o que isso importa ou muda?
O que o show vai mudar na minha vida? O que ver o Humberto na camarim vai alterar nos meus pensamentos?
Sim, o que está acontecendo comigo?

Sr. Schue diz que quando uma estrela morre ela não simplesmente desaparece, ela vira um buraco negro que suga toda a luz ao seu redor.
Um dia isso acontecerá com o sol, uma dia isso acontecerá com você.

Eu não me sinto empolgada para nada, nem para a viagem a São Paulo, nem ultimo filme de Harry Potter e nem mais para o show que estou aguardando tem 62 dias.
Parece tudo tão superficial e a única coisa que tenho encontrado em meus dias, são as noites.
Parar e escrever, sentir como se fosse outra pessoa e esquecer que lá fora brilham luzes artificiais.

Nem amor, nem nada, essa palhaçada adolescente e de novelas mal feitas já deu para mim.
O que? Era eu que sonhava com família e um amor eterno, príncipe encantado e contos de fada.
Ao inferno com seus contos de fadas, ao inferno com sua vida real.

Absolutamente nada me empolga, nada me fascina e eu descobri que quando eu não saio a tempo do meu mundo encantado ele MORRE COMIGO DENTRO.
E que venham as noites que me afogam com suas lágrimas cortantes e olhos inchados pela manhã. Que venha inspiração para escrever divinamente como sempre acontece quando estou assim.

Eu não me importo mais.

segunda-feira, 4 de julho de 2011

To de saco cheio...

... chega, deu pra mim (8)



Entre tantas doses de veneno, dos mais mortais desfrutados foi da falácia 'família'.
Defina então o que esses laços de sangue tem de tão especiais sendo que no momento mais importante, nenhum deles faz a diferença.
Amizade escolhida pelo destino ou eterno sobrenome a carregar?

Devo admitir que entre aqueles e estes, alguns realmente fazem jus ao que dizem por aí. Mas outros, porém, parecem ter como fardo a possibilidade de qualquer coisa além de 'meros laços de sangue'.

E afinal, porque não amigos e melhores amigos serem chamados de família? Desde sempre é com eles que conto quando as coisas realmente parecem sem saída, e jamais estive sozinha, mesmo que a estrada tenha tido subidas e descidas.
Enquanto outros ali, até diziam, só faziam o que estavam designados a fazer.

Não preciso de dó, piedade ou de misérias de atenção, sem o mínimo afinco e desejo.
Cansei da hipocrisia do sorriso nas fotos, mas quem é mesmo aquele ali? Nenhum deles sabe quem sou, ou sequer se importa.
Ou tem um jeito muito estranho de dizer que faz algum diferença eu continuar respirando.

De qualquer jeito, o meu enfia no cu de hoje vai para essa hipocrisia de ter sempre que se apoiar no pilar família e que amigos são relativos e provisórios.
Pilar família já falhou e prejudicou muito e eu realmente tenho que rever conceitos de provisório quando a média de anos de amizade com meus melhores amigos é mais ou menos 4 anos, considerando desde que nos conhecemos como ponto inicial.


Estranha boa sensação de sempre ir contra o bom senso-comum.

quarta-feira, 22 de junho de 2011

Se nada faz sentido...

... há muito o que fazer (8)

(acho que esse foi meu pior post)



Por mais que eu tente releva e esquecer os erros, os sonhos sempre acabam sendo os mesmo pesadelos, de que adianta você dizer que se importa...?

As vezes Nx Zero fala mais sobre mim do que eu esperava, as vezes meu pai de coração da mais conselhos do que eu posso suportar. Tem dias que eu só quero ouvir qualquer música ruim e fingir que não me importo.
Fico me perguntando de que adianta julgar tanto a conduta das pessoas se elas simplesmente estão felizes do jeito que são. Ok, ela se veste mal e sequer consegue falar 'POBLEMA, POBREMA', mas aposto que de noite, quando coloca a cabeça no travesseiro sorri pelo dia que teve.

E eu, que vivo a risca e a margem, equilibrando entre trilhos do trem, não sei se posso deitar a cabeça hoje no travesseiro e sorrir pelo dia que vivi.
A noite começou a consumir a paz que meu coração encontrou quando um toque hostil feriu meu corpo, mais uma vez, e de repente a noite estrelada ficou tão fria e distante que eu só quis a paz.
Estou quase desistindo de esperar o tempo que me propus, não adianta, nada muda.

O toque hostil feriu na hora, mas as marcas vermelhas não são mais visíveis, mas agora outros machucados se abriram, e o que era amor se converte pouco a pouco.
Dói saber que estou tão longe da melhor época da minha vida, mas o que me consola é que eu descobri que tenho um novo sonho.

Eu vou morar em PoA, e nada me impedirá disso. 

Sei que hoje não sairam palavras bonitas, mas as sombras voltaram e por mais que agora elas não me afetem como antes, por mais que eu saiba como sair delas, é inevitavel não me machucar.

Se o tempo não for mais voltar
Boa noite Cinderela

quinta-feira, 16 de junho de 2011

Não tem parada errada não...

... no olho do furacão



A primeira coisa que eu tenho a dizer: não precisa ficar off, eu vejo você como "on".

Há dez minutos atrás estava em um estado de desespero tão grande que achei que iria abrir uma janela, falar tudo o que queria e depois perguntar se ainda era tarde demais para voltar atrás e fazer o certo, permitir as lembranças do futuro.
Agora eu quero que vá Jacob, Edward, Damon e Stefan tudo de mão dadas para o INFERNO.

Chega de me sentir doentia, vou me livrar disso e realmente, quem vai correr para longe agora sou eu, longe de tudo e mais ainda, longe dessa maldição de felicidade que eu coloquei para mim.
Cansei. Cansei. Cansei.

Eu disse que te amava e continuo te amando, ter convivido comigo deve ter quase matado você.

quarta-feira, 15 de junho de 2011

E se não for pedir demais...

... bola pra frente (8)



Entendam que o mal que eu fiz a mim mesmo é praticamente o mal que fiz a você.
Desculpe, eu não tive a capacidade de fazer ninguém feliz. 

Não foi intencional e muito menos meu desejo, eu só não tenho essa doce capacidade. Eu magoo a mim mesma, quem dirá os demais.

Triste garota da cidade, que por ter tudo o que desejava ter, acabou por se ver sem nada e sem saber o que queria ao certo. Agora nem lágrimas, nem sorrisos.
Vazio, sombras e uma pulsão de morte que se esvai deixando o nada como melhor amigo.
Que seja assim, porque de vazia eu me faço forte e nada mais importa.


Amanhã vamos rir de tudo isso.

Um interesse a mais, e todos os sonhos ao chão.
Viver de amor e para ser feliz, fazer o que ama e não o que é necessário. Jamais novamente, somente viver como manda tudo e todos.
Agradar ao mundo e ter o que o mundo diz me agradar, chega de ilusões e de olhos castanhos brilhando em um momento qualquer.
Não existe um tempo para nada, pq no final, nada vale meu tempo perdido. 

Final dramático de um capítulo a mais, quem sabe amanhã eu não acordo sonhando novamente? Hoje só quero ir dormir.

Eu preciso beber qualquer coisa, eu me lembro que eu não bebo, o que só nós dois sabemos nós sabemos que é segredo, e eu que não bebo pedi um conhaque pra enfrentar o inverno que entra pela porta que você deixou aberta (quando eu pedir para você sair).

O que não tem fim sempre acaba assim.

Hoje é a ultima vez que você fala comigo, sua ultima despedida.
Apenas um boa noite.

quinta-feira, 2 de junho de 2011

Acabando...

... o que nunca tem fim. (8)


Rreviver o blog as vezes me da medo, parece que sempre tenho que trazer alguma coisa que realmente valha a pena, como se os ultimos dias tivessem sido um lixo.
Mas uma hora nós temos que levantar, limpar a poeira e caminhar afinal está anoitecendo e a estrada fica mais perigosa a noite.

Essa Highway cheia de curvas e de buracos, silênciosa, perigosa.

Engraçado observar o horizonte novamente, sem que a montanha de dor e mágoa esteja entre ele e meus olhos nostalgicos, o mundo continuou girando e parece que a frente existem coisas muito melhores do que eu imaginava.
Sinceramente não sei se é o alto da montanha ou se ela simplesmente sumiu de meu caminho, mas parece que dos dois jeitos tudo ficou para trás. Um tudo que sempre fará parte de mim.

Parece estranho conversar com alguém que sempre pareceu fazer tão bem de uma forma tão distante, parece que as coisas mudam e eu ainda tento me equelibrar no alto dessa corda bamba.
Cair significa ter que voltar ao zero, e eu não sei se posso aguentar uma nova reconstrução.

No mais, é assim, vivendo e derrapando nas curvas da Highway.

segunda-feira, 16 de maio de 2011

Through Glass

Não não, eu não vou desistir assim.



Hoje eu acordei diferente. Sabendo onde cada coisa se encontra, onde cada ferida se abriu.
Chama-se extinção o que está acontecendo, e o que me machuca, resistência a extinção.

Quando você extingue uma consequência o comportamento tende a acontecer com maior frequência, até que se entenda que ele não vai levar a nada e assim, gradativamente vai diminuindo até acabar.
As pessoas vão falar muito mais sobre ele do que antes, até que uma hora ninguém vai falar mais nada.
Enquanto elas falam vou, em silêncio, figindo não me importar. Sorrindo entre as frases e concordando educadamente com a cabeça, até que chegue a hora em que ninguém mais lembre.

Nesse momento eu entro. Será a hora de encarar de frente cada machucado aberto, apenas eu e meus pensamentos subjetivos.

Eu sei que aqui dentro tudo vai continuar em carne e sangue, sempre vivo.
Se não fosse os 18 anos de convivência comigo mesma talvez pudesse duvidar de minhas próprias palavras, mas eu sei como sinto as coisas e mais ainda, sei que sinto muito mais intensamente que a grande maioria.
Desfruto do sentimento, absorvo até a ultima gota do que ele pode me oferecer, de ruim ou de bom.

Segundo a psicanálise eu introjeto muito mais do que projeto.

Mais do qualquer coisa, eu sei que vou lutar para que tudo continue como está aqui dentro.
Vou lutar pela confusão, pelo medo, pela dor que não me afeta quando olho tudo por cima. Vou lutar por esse amor incondicional e infinito.

E aquele livro oculto no meio das suas coisas, onde nossos nomes estavam assinados.

Muito fácil manter-me forte tão distante, dentro de minha zona de conforto, mas agora eu volto para casa e da mesma forma que escrevi no post da semana passada volto a dizer hoje.

Segunda Feira tudo está no seu lugar.
Amém

domingo, 15 de maio de 2011

Antes que eu sentisse falta...

... antes que faltasse o ar (8)


eu quero um pichúzinho <3
chame de exagero, diga que é bobagem.

Aceite o mal...

Que eu fiz a mim mesmo 


Não dá para simplesmente passar pelas coisas como se elas não tocassem em nada meu coração.
Hoje eu dorme até o máximo tarde que eu pude, simples e puramente para não ter que pensar na minha realidade, eu não queria despertar por um bom tempo.
Nos sonhos tudo que eu quero existe.

A afinal, como se esquece de algo se a única coisa da qual se tem falado por aí é sobre ele.

É verdade, eu não queria estar aqui, assim, no olho do furacão.
Preferiria ter ido ao show do Ultraje a Rigor e dormido um pouco na noite passada.
Mas quem vai explicar porque as coisas caminham dessa forma? Quem pode me dizer porque sempre que busco alguma coisa ela simplesmente se destrói.

Não aguento mais, eu não sei a resposta.

E agora myself se escurece novamente, se fecha em uma vasta floresta negra.
Não quero que ninguém se aproxime, que ninguém explore... Um território desconhecido para qualquer desbravador e que realmente deveria assustar.
Se alguém se atrever a explorar com certeza sucumbirá no caminho (falou a escritora xD).

Eu preciso beber qualquer coisa, eu me lembro que eu não bebo.

Só existe uma pessoa que sabe bem como é passar por toda essa imensidão de dor, por toda a escuridão.... Só uma pessoa conhece de verdade o que tem do outro lado, o que está morrendo agora.
Não sei se quero que ele traga luz novamente, não sei se quero deixar morrer.

Na verdade não quero, mas ninguém precisa saber disso.

Parece que tem um mundo de coisas passando em uma velocidade desnecessária por minha cabeça e eu só quero ficar sozinha.
Sentir o vento frio da noite de Campinas em meu rosto, ver as luzes da cidade. Caminhar pelo Taquaral, e entender porque...

Eu olho pra lua, eu sinto sua falta.

quarta-feira, 11 de maio de 2011

11-05

E se não for pedir demais, um ultimo beijo

Sempre imaginei que história encantadas acabassem com 'e eles viveram felizes para sempre', mas a minha história foi ao contrário 'e eles foram felizes, mas agora acabou'
Foi uma linda história que vou me perguntar sempre porque não foi até o final do livro.
Mas eu ainda desejo com todas as minhas forças que você seja feliz, o que não fui capaz de fazer.

Então não é que o Damon morreu nos meus braços?
Não é que o Grigori se foi?

E nós que desenhavamos infinitos dentro de corações.
E nós que nos amamos tanto.

Quantos capítulos ficarão abertos, sem contar os passos de um casal que sonhava com a vida.

Foi pouco tempo mas valeu, vivi cada minuto. Valeu a pena cada segundo, me fez feliz.
Dizer que não foram os melhores dias da minha é mentira, falar que não valeu a pena é hipocrisia.
Tudo que passou vai continuar aqui, intacto.

E dói tanto porque foi bom, foi perfeito em seus defeitos.

Eu vou seguir viagem, fazer algo por mim, mas a porta sempre estará aberta.
Nada vai tirar de mim você, e você de mim.
Você vai continuar aqui, intacto.

Vou segurar as lágrimas e rezar por você todos os dias.
Obrigada por tudo, por ter me salvado, por ter me mostrado o que é viver. Por ter me dado um amor acima do limite do universo, infinito e eterno.
Mas que chegou ao seu final.

Ich Liebe Dich, porque em alemão sempre vai doer mais.

E hoje para pra pensar no que me importar. Se o tempo não for mais voltar
Boa noite, Cinderela.

sábado, 7 de maio de 2011

Vai passa batido...

... despercebido, talvez até já tenha acontecido (8)



Olhar para as estrelas e fazer um pedido.
Esperei uma chuva iluminada, diversos Anjos caindo na Terra e uma noite onde tudo fosse confuso.
Mas não houve confusão, mas uma clareza insuportavel.

Lágrimas verteram de olhos perdidos, opacos. Adultos.

O muro se desfez e o coração se abriu novamente, enxergou tão claramente quanto há dois anos atrás, mas com olhos de quem não é mais inocente.
Olhos de quem pode prever o passado.

E tudo voltou novamente ao seu lugar, mas como disse o poeta uma vez, é preciso que tudo mude para que tudo fique na mesma.
Posso até ter viajado por 360º, mas apenas eu e mais ninguém.

Um ciclone atravessou as nossas vidas, de repente tudo fora do lugar
Hoje eu sei só a mudança é permanente, de repente tudo está no seu lugar.

Para mim sim, mas não sou só eu.

Segunda feira tudo está no seu lugar.
Amém.

quinta-feira, 5 de maio de 2011

Ao tempo em que nada...

Nos dividia, havia motivo pra tudo e tudo era motivo pra mais ♪

A noite não existiu, até quem me olha de longe sabe que dormir tarde.
Não foi uma questão de querer, mas nada me deixou assustada ontem, simplesmente estava ali, fazendo o que tinha que fazer.
Cumprindo um papel.

Arrastando os dias para comemorar uma data que sequer faz sentido mais, porque há dois anos atrás, hoje era um dia feliz e de tão feliz me fazia chorar.
Lágrimas de uma felicidade que durou muito tempo, mas aos poucos tem se consumido por si só.

E agora sinto um medo infantil, mas na hora certa afundaremos o navio ♪

Mais uma vez O Cara está certo, e parece que se minha vida fosse um musical a trilha sonora seria baseada em Engenheiros do Hawaii, afinal, o Humberto não errou até hoje nenhum passo da minha vida.
Ou talvez seja apenas minha vontade de me identificar com algo que me leva a encontrar detalhes da minha vida em letras de música...
Ou ainda que eu estou agindo como diz a música para poder ter haver.
Faz algum sentido pra você?

Só queria poder sentir aquela coisa estranha que me fazia sorrir lavando louça, querer estudar geometria analítica e amar História do Brasil.
Sentimento que recuperei em sua parte 'amistosa' quando conheci o Gui.

E passei o final de semana todo me perguntando qual é a hora de dizer o primeiro eu te amo, bem, acho que depois de dois meses, mas só se for em inglês.
Quando a gente sabe que ama alguém? E mais ainda, quando a gente sabe que não ama mais?

Minha cabeça anda tão cheia, tantas idéias, tantos diálogos jamais ditos, quantos desejos.
Uma peça de teatro inteira no palco dos meus pensamentos.

Queria que tudo não se despedaçasse e voltasse a ser como antes.
Mas você disse que não vai voltar.

Se o tempo não for mais voltar, Boa noite Cinderela. ♪

terça-feira, 3 de maio de 2011

Seria mais fácil...

...fazer como todo mundo faz. 

E agora o que tá em moda é tumblr. Só vou fazer um para poder reblogar o que os outros falam, mas minha paixão mesmo é escrever.
Será que eu dou conta de contar a subjetividade da garota triste, enquanto do outro lado eu tento fazer qualquer um rir de qualquer besteira.
Paradoxal como sempre.

E faz alguns dois dias que foi a famosa caminhada de Franca-Restinga.
Quem mora em qualquer outro lugar além de Franca E Restinga provavelmente não entende nada, mas alguns amigos sempre presentes e agora tão distantes fazem idéia de quanto esse dia é especial.



Nostalgia, daquela que bate no peito e trás fotos velhas a mente. A lembrança no espelho.
Faz voltar o tempo e dizer mais uma vez que tudo passou.
Passou e ficou preso nas memórias, no desejo, ao som de Queen e nada mais importava.

E depois que passa a gente vê, a gente sente. 

Parece que pedacinhos de momentos vão compondo, construindo, reformando tudo o que somos e quando a gente vê se misturaram num nó na garganta e em lágrimas afiadas que cortam meu rosto.
O cinza do inverno-outono acentua uma malancolia de fim de tarde, quase como que ao som de Vento no Litoral.
Resta seguir em frente em uma nova vida, que apesar de tudo não se esqueceu das boas-velhas lembranças.

O resta apenas o despertador dizer que é hora de acordar e toda uma vida pela frente.

quinta-feira, 28 de abril de 2011

os dias parecem séculos...

e se parecem uns com os outros 

Preciso beber qualquer coisa, eu me lembro que eu não bebo, o que só nós dois sabemos que é segredo.
Agora sinto um medo infantil.
Não tenho medo de perder você, era só questão de dia, um dia ia acontecer.

Juro por Deus que são só trechos de música. E começou uma mais tensa ainda.
Minha trilha sonora anda um pouco deprimida, mas parece que a inversão foi total, lá fora tudo bem, mas aqui dentro brilham luzes artificiais.
Era mais fácil quando meu porto seguro batia do lado esquerdo do peito e não apenas no externo desse mundo vazio.
Faz frio na cidade inverno, e parece que o inferno foi embora para voltar apenas no brinde da primavera.

Tempos frios, perigosos e tristes.

Eu nem sequer lembro como era me sentir especial aos olhos de alguém, e como era acreditar que o mundo girava em ritmo lento e perfeito.



Queria que tudo desse certo, queria que voltasse a ser como antes.
Ou ter passado reto na escada naquele dia.
Só queria saber que alguém que eu amo, agora, estaria feliz como jamais foi.

Já fui tantos erros na vida de tantas pessoas.

Acho que no final minha existência se resumiu a grandes erros, o que sou.

Não adianta insistir, quando tudo o que fazemos insiste em dar errado o melhor a fazer é sentar e observar o fim do mundo.
Boa noite, Cinderela.

sábado, 23 de abril de 2011

To de saco cheio...

chega deu pra mim...

Chega a ser fantástica a capacidade que as pessoas tem de repetir os mesmos erros seguidas e várias vezes.
Pleonasmo a parte, como um ser humano dotado de inteligência pode conserguir ser tão idiota a tal ponto.

Cansei.

Não quero mais essa Bella que valoriza tanto as pessoas que não se importam, que não querem saber.
Essa idiota que sai de Campinas contra sua vontade para ver um showzinho de amigos que não estão nem aí, para encontrar amigas que não se importam.
Uma burra que realmente mereceu chegar em Franca e perceber que as pessoas, no final das contas, nunca se importam de verdade.

E sabe aquele segredo que eu ia te dizer? Era que desistiria de tudo se vc quisesse.
O que isso tem haver? Nada, mas afinal, precisa ter haver de fato para que faça sentido?

Velhas amigas de milhares de anos, prefiro amizades sinceras de um final de semana.
Velhos amigos de milhares de anos, prefiro alguém que pelo menos consiga cumprir com combinados.
Faz diferença para alguém? É claro que não, nunca vi nenhuma dessas pessoas sair machucada no final das contas.

Chame de exagero, diga que é bobagem...

Meu ego, superego e até mesmo meu ID me contaram tranquilamente em meus pesadelos devastadores que a noite de quinta foi a saideira dessa vida.
Da próxima vez só Whisk escocês, com muito gelo em qualquer lugar que tenha pelo menos caideras.
E seres que sentem.

E sabe o que mais? Reviva velhas amizades de quem fez um futuro que ainda passa por meus pensamentos, ou passava, desaparecer.
Dia 09-12, a data da noite inferno. Ela se repete com tanta frequencia na minha vida que as ânsias de vômito e as lágrimas cortantes ainda não me deixaram.
Cansei de Flash Backs com essa mesma música.

Você nunca se arrependeu, não será uma dívida eterna a pagar.

Cansei de ser aquela procurada quando tudo da errado.
Uma boa noite para você mas, quando chegar no fundo do poço, eu posso até ser sua Samara, só que não vou te ligar nem em 7 dias.

Por fim aproveitem, esse é o último dia que choro por supostos amigos que sequer sabem o que essa palavra significa.

segunda-feira, 18 de abril de 2011

Meias verdades noites inteiras

bebendo bobagens, pensando besteiras .

E aquela sensação de jamais querer levantar, esquecer do mundo e dormir até que nada mais reste.
Abrir vagarosamente os olhos e observar o relógio a sua frente, mas ignorar qualquer sinal de ter percebido que horas eram.
Se já era para ter despertado.

Não adianta, tanto a realidade quanto os sonhos devastam com suas mentiras.

Enquanto todos estão felizes e vivendo de uma forma comum, nós que nos amamos tanto não conseguimos um pouco de paz.
E coisas que antes eram tão simples agora implicam um verdadeiro esforço apenas para darem certo e mesmo assim não dão.
E hoje eu tenho hora marcada para entrar na vida da minha vida.

E mesmo implorando, eu ainda sou o plano de fundo de uma vida que acontece paralela a aquilo.

Se você não existe num mundo virtual, eu não existo, para você, no real.
Faz parte do meu show, meu amor.
E é só pensar no Humberto que ele surge das cinzas do meu dia, publica na timeline, que é máximo perto que chegarei dos pensamentos dele.
Mal sabe ele que alguém, do outro lado da tela, pensa nele com todo o carinho e sonho.
Ele é meu motivo.

Será mesmo que é tão difícil assim viver e continuar feliz, não haverá um estado de felicidade eterno ou um simples final de semana que pode ser tranquilo?
Acho que sou eu que estou desiludida.
Mas passa, tudo passa na verdade, só essa vontade de viver que eu nunca consigo matar.

E se eu pudesse, gritava bem alto por ajuda, chamando um único nome.

sexta-feira, 15 de abril de 2011

Por mais que a gente cresça...

há sempre alguma coisa que a gente não consegue fazer (8)

Quase comecei esse post com uma música do Cidadão Quem, mas nunca nada pode significar tanto quando Humberto Gessinger em suas canções.

tantas faces, todas na trilha sonora da minha vida
Parece que meu passado voltou rasgando em uma trágica noite de quinta feira.

Fantasmas que não be abandonam, mas não são os mesmo fantasmas que o Humberto Gessinger fala.
São preticamente assombrações.

Queria tanto que meu passado ficasse preso em uma caixinha que eu pudesse ter sempre comigo, mas jamais lembrar que existe.
Longe de mim.
Claro que não deixaria de fazer ou modificaria nada do que fiz, aliás, acho que ninguém deveria querer que seu passado mudasse.
Não desafiaria a sorte de não estar sentada agora ao lado do melhor amigo de meu namorado, com ele me abraçando, enquanto do outro lado da tela e e o Guilherme definimos a trilha sonora de um sonho.
E devo admitir, depois que meu passadoficou para trás, o melhor que me aconteceu foi conhecer o Guilherme.

Ah sim, o passado ficou para trás dia 03/04/2009, mais conhecido como a sexta-feira que conheci o Sirius.

Parece que anda tudo caminhando na mais perfeita paz, e usando um termo que o Gui fala, eu to em paz.
Isso é raro, isso é bom.

Ilex Paraguariensis e um pouco de  , temos a trilha sonora de uma vida e de um sonho... e eu tenho sonhado com rostos distantes que queria por perto. Somos o que há de melhor.

Leve-me contigo: perca-se comigo

quarta-feira, 13 de abril de 2011

Um dia super...

Uma noite super, uma vida superficial ♪

O ônibus parou em um ponto qualquer e eu observei calmamente a ferrugem que formava um desenho de passarinho e um sorriso por baixo.
Interessante como aquele pequeno detalhe me levou a pensamentos confusos e uma simples segunda feira da cidade inverno.
E a quantas anda tudo aquilo que eu acreditava, tanto medo de uma nova frustração.

Não importa, parecem os dias mais felizes da minha vida depois.

Vale a pena quando tem alguém ou alguéns ali por você... e que você pode gritar, chorar, desejar que o mundo acabe, nada muda o fato deles estarem ali, segurando sua mão ou falando para você largar de ser idiota.
1 ano e 10 meses com meu pai sabendo que estou ao lado de quem, desde 2 anos atrás, eu sei que quero para o resto da vida.

Sabe que quando fiz esse post mentalmente ele ficou muito mais poético do que isso, mas de que adianta a inspiração vir quando eu to dentro de um ônibus lotado? Na frente do computador eu esqueço de tudo, fica tudo banal.

O som da chuva me indica que fará frio na cidade inferno e que de tão inferno virou minha casa.
E que de tão inferno me trouxe um novo sopro de eu, sem resistir a velha essência de antes, e aquela velha sensação de que meus amigos irão me deixar.

Estranha sensação boa de prever o passado.

Graças a esses amigos meio io-ios, agora tenho um medo cômico de me apegar as pessoas, mas como tudo para mim é paradoxal, estou completamente dependente.
Talvez seja mais ou menos o que Freud fala sobre inversão ou um outro processo que esqueci o nome, as coisas acontecem ao contrário no desejo realizado.
Mas qual é mesmo meu desejo? E ele não fala isso nos sonhos?


Ah sim, sonhos... Sonhei com o Guilherme essa noite, a gente desencontrava. Eu sei que Freud explica, pq até eu consegui explicar.

Eu tive um sonho, há muito não sonhava...

http://www.sempreler.com.br/ ~> acessem, ótimos preços e ótimos livros...

sexta-feira, 8 de abril de 2011

Hey, garota...

... o dia já passou, não deixe a noite passar
Passe um batom, ou não, e vá se divertir
Você vai descobrir quem é clone de quem ♪

meio pai, meio ídolo. meio eu.

Começo o post com um fato: eu to com saudades do Guilherme.
A vantagem de estabelecer amizades pela internet é que a vida on-line te ensina a lidar com a pessoa ali mesmo, sem aquele vácuo da conversa quando vc fala no msn com a amiga que você deu tchu há 1h.
A vantagem de ser eu na vida on-line é que consigo ter assunto com quem quero na hora que quero, a questão é a vontade de falar com algumas pessoas.

Eu não sei se me apeguei rápido demais a pessoa certa ou cedo demais a pessoa errada...
As duas opções assuntam, mas a primeira é bem mais feliz. Muito mais.
No final das contas é aquele momento que eu peço a Deus para que não me deixe ser frustrada novamente, as pessoas hoje em dia andam tão esquecidas de que as outras também tem coração.

Não é específico para ninguém, mas parece que aos poucos nossa importancia vai se desgastando com o tempo, no final das contas nem o bom respeito significa alguma coisa. Parece que tudo se perde no vácuo.
E aquela vontade de mandar um e-mail para o ídolo, hora mandando a puta, hora falando o quanto ele mudou sua vida.
De que adianta, o Humberto nunca vai responder. Ele nunca responde, sou eu que escuto sua voz no vazio da noite dizendo qualquer coisa cantada, só para poder secar as lágrimas e dormir em paz.

Será que só eu que não me toco que o lugar da Ana na vida dele é bem diferente do que o que eu desejo?
Eu sequer quero saber de histórias de amor... Eu só quero a cura.
Um pouco de tranquilidade, acordar com o sol batendo na parede do meu quarto e não ter essas sensações confusas.

Estranha sensação boa de nunca saber o que fazer.

quinta-feira, 7 de abril de 2011

Sempre em frente...

foi o conselho que ela me deu ♪
Tinha tantas coisas para falar ontem de tarde, mas a maldita prova de fenomenologia me impediu por alguns momentos. Hoje já não lembro o porque, mas ainda lembro das coisas.
Queria falar sobre meu anviersário de namoro, falta um mês para 2 anos, hoje, na verdade, 30 dias.
Também queria registrar que nunca pensei que as pessoas da minha faculdade me vissem como iguais a elas, mas veem. 
Sabe, eu sempre tive o fiel costume de me sentir excluída e fora de qualquer lugar que estivesse, até um dia um amigo meu dizer que sem mim e minha amiga o grupo não era o mesmo.
Até outro dia a gente dar um nome com as iniciais de quem estava no grupo...
Ou até um sabádo onde nasce uma CIA Cladestina de humor... humoralistas.

Será que mais alguém se sente assim tão fora do mundo no primeiro contato? E não é se sentir especial, é se sentir excluído mesmo.
Desde criança tão fora, e aí um dia cai a ficha de que você nada mais é do que parte daquele todo.

Mimimi, eu quero minha mãe. e sabe o que é o pior? É SÉRIO.

Dois meses sem ver minha mãe, um ano sem pensar no meu sonho. O que era mesmo esse sonho?
Ah sim, brilhar nos palcos, mesmo que para ninguém. Levar emoção além de alguém que eu sou, mas sendo quem sou.
Ficar feliz e triste independente de como meu dia caminha, fazer alguém (ou alguéns) esquecer do dia infernal, da dor que não passa, ou se lembrar de um dia feliz.
Mas eu estou aqui, desvendando muito mal o que é o inconsciente, entendendo muito mal como as coisas são o que são.
Dando o meu melhor, mas meu melhor para que?
Sempre tive a certeza que Shakespeare é muito mais legal do que Freud, e que uma palco explica muito mais do que um divã, mas eu continuo aqui, engolindo a demasiada carga de informações que os professores nos jogam sem questionar o que somos.

Foram as escolhas que eu fiz, não há como voltar atrás tão só e somente porque o sonho que eu busco caminha paralelo ao sonho de atuar, eles não se cruzam... a ilha não se curva.

Pelo menos eu consigo refúgio nos livros: http://www.sempreler.com.br/

segunda-feira, 4 de abril de 2011

Sei que lá fora...





Eu não vejo justiça, não vejo porque.
Os erros e os acertos, nada importa, eu quero viver.
Não quero mais essa vida de miséria.

Vamos dar um tempo.

E como fica esse coração que já se sente tão febril desde tanto tempo.
Não faz diferença para ninguém além de mim.

Eu vou te magoar.

Como se alguém se importasse mesmo com isso.
Esqueçam então que eu sempre estou aqui para o que precisarem, não estou mais.
E se a vida de alguém der errado, problema de você que viraram as costas assim que puderam.
To cansada de ver minhas amigas e meus amigos começarem a namorar ou gostar de alguém e mudarem comigo, mas quando a vida tira todo o chão, procuram a velha Ana para se apoiarem.
Não mais.

Vamos da um tempo.

Como se eu fosse tão simples e facil assim.
E meu coração destroçado fica assim como está, nunca faz diferença.
Quantas lágrimas eu ainda terei de chorar para ser feliz por mais de um dia.
Eu quero você, mas eu quero o você que me faz sorrir.

Vamos dar um tempo.

E você sabe que as coisas vão mal quando se arrepende de não ter se matado antes.
Que seja força de linguagem, eu me sinto morta de qualquer jeito.
Estava tudo como deveria ser, e de repente fica tudo fora do lugar.
Como eu posso viver sem chão, desde pouco tempo e sempre assim.

Vamos dar um tempo.

Eu queria ter ficado sentada naquele chão até dormir.
Até não acordar mais.
As lágrimas rolam afiadas e fazem todos os machucados doerem mais, sempre mais.
O corte real em meu dedo também sangra e dói, tão pouco comparado ao que dói o resto.

Vamos da um tempo...
Não sei quem deu a sugestão
E aquele sentimento que era passageiro
Não acaba mais.

domingo, 3 de abril de 2011

Tententender a minha alegria...

 




Bom dia para você que sabe o que acordar feliz.
Mas a melhor noite do mundo para você que consegue dormir mais feliz ainda.

Ondas constantes de pura alegria e emoção invadem a maré alta que se encontra meu sorriso, meu coração se afoga enquanto todo meu corpo se rende a esse eterno ir e vir.
Olhos azuis infinitos, e então eu entendi o que significa esse infinito.
Alguém que ja esteve dentro de um sonho bom sabe o que é não querer acordar, alguém que já viveu um sonho sabe o que é não querer dormir nunca mais.
A noite parece pequena para sonhos realizados, ainda mais quando você debuta naquele estado.

A primeira vez que alguns espectadores pareciam assistir com interesse e felicidade parecida ou igual.

Longe demais ou ali, depois da curva ali, não importava.
Valeu viver por isso, e então a respota para uma pergunta tão eterna e sincera: Estamos vivos sem motivos, que motivos temos para estar?
Felicidade trouxe consigo mais do que um simples sonho assinando com uma caneta verde e bebendo chá de erva doce, mas novas amizades e um amigo que vem lá do sul.
E então estava completo.

O vazio não bate e enfim há no que se apegar, não apenas em apenas 7 palavras, mas no dono delas, que as disse com tanta certeza.
Vale a pena então.
Anoitece na cidade inferno, que desde ontem se tornou longe demais das capitais.
Um calor do cão, uma frio de matar. Tudo misturado em sons e risadas, o ápice de uma alegria conjunta.




A soma dos fatores.

O melhor sonho da minha vida (:



Que a chuva caia como uma luva, um diluvio um delírio. Que a chuva traga alivio imediato
Que a noite caia, de repente caia, tão demente quanto um raio. Que a noite traga alivio imediato.


Foi dia 1º, e olha que sacanagem de data, que então eu tive o dia mais feliz da minha vida.
Eu ainda não sei se tenho capacidade de expressar em palavras toda aquela emoção que a presença dO Cara me causou.

Quando aquela voz de chamada de aeroporto anunciou que o Humberto ia entrar, meu coração bateu tão rapido que achei que simplesmente ia criar vida própria para pedir seu autógrafo personalizado.
E então ele entrou.
O mundo caminhou lentamente enquanto eu via a pessoa que mudou minha vida entrando por aquela porta tão simples e me dizendo que tudo o que eu acredito é real. Ele estava ali.
Acho que foi o mais próximo que cheguei de um anjo de verdade.
Uma aurea acompanhava aquele tamanho de pai/alemão e ele se colocava no seu lugar de ídolo, sabendo que esqueceria logo as datas e os nomes.
Eu jamais esquecerei.

Nossa, e eu era a segunda pessoa que iria falar com ele.
Um tremor tão grande tomou conta do meu corpo que nem sabia o que fazer, e o Guilherme me pedindo calma, eu sorria.
Ainda tremendo eu me aproximei dele, e sem saber muito o que fazer o que falar, fiz o que tinha certeza que suportava, ele sorriu e eu achei que o mundo poderia acabar ali.
Realizar sonhos é tão bom.

E então eu saí da presença dele e desabei nos ombros da Cris, eu chorava e sorria ao mesmo tempo, era tão forte o que sentia que ainda tenho que segurar as lágrimas para escrever.
Era felicidade pura, emoção verdadeira. Posso dizer quer até amor de verdade.
Depois champagne e fotos. Ele deve te enxido o saco de ver minha camera voltada para ele, mas nunca se sabe quando haverá outra chance.
Só o bonitinho do Guilherme que me decepcionou, não bateu foto comigo e nem quis ir jantar ):

Ok, a justificativa dele foi boa, mas não coloco aqui por motivos de ética HAUSHUAHSUAHSUAHSUHAS

E as maiores duvidas foram sanadas, poesia é um porre no literal, apesar do HG ser poeta ele não é mt chegado em uma poesia; o grito de curtametragem é porque ele tava errando muito e irritou...
Ah sim, uma pergunta eu mesma consegui fazer: que dia a Clara nasceu.
Olha, ele teve que pensar para responder, mas eu solucionei minha duvida de 6 anos: 13-02 (:

Mas de uma coisa eu tenho certeza, se o Lucas e a Cris nã estivessem comigo não teria tanta graça assim.
Obrigada a todos.

quarta-feira, 30 de março de 2011

É alta madrugada...

Já é tarde demais, pra pedir perdão, pra fingir que não foi mal ♪



A brisa suave da madrugada da cidade-inferno, já quase inverno, invadia meu quarto com delicadeza desnecessária pela rude entrada a força.
Era final de BBB, e por estranho que pareça para mim estava assistindo sem realmente enxergar, quem é mesmo aquele cara de cabelo branco que apresenta? Bial? Não, falta a sutil genialidade que sempre me fizeram desejar ouvir seus discursos, de Filtro Solar a primeiro paredão.

E na crista da onda, conversas com quem queria ver e ter por perto.
Redes sociais que me colocam tão perto e tão longe de quem está no frio do Sul ou no calor de Minas.

Faltam dois dias para conhecer parte do que sou, mas o medo da decepção e a mínima falta de idéia de como será minha reação me assustam, me consomem.
Do outro lado do espelho, aquela garota que não sei se sou mais.
Eu consigo perceber uma mudança, mas não sei onde, nem porque? Nem se é justo tudo mudar, menos os velhos medos de criança... 

Alguns dizem que a essência de menina também não, mas eu duvido um pouco.

E eu ainda sei nada, mesmo sabendo tudo. 
A leitura desgastante de livros não me levam onde que chegar e as pessoas continuam indo embora, como ondas.
Eu nunca sei quando voltam e porque, mas parecem encontrar em mim algo em que se apegar ao que era antigamente e assim, quando desistem do novo, ficam com o bom e velho passado, lembram-se da Ana.
Já cansei disso, das pessoas que entram e saem da minha vida sem perguntarem como deixam meu futuro, o que fazem com meu presente e como lido com meu passado. Se quiserem sair saiam, mas parem de voltar, perder é ruim, mas perder constantemente é humilhante.

Fragmentos.

Velhos medos?
Eu tenho medo de cobras, já tive medo do escuro.
Tenho medo de te perder.

segunda-feira, 28 de março de 2011

E por aqui...

O externo reflete o interno, disse uma garota a sombra da noite que já ia alta.
Será mesmo, pensou ela em seus devaneios, faz sentido acreditar em tal frase observando seu quarto bagunçado e ouvindo sua banda favorita.


Eu estou onde deveria estar, continuou ela pensando, mas será mesmo que onde deveria estar é onde queria estar.

Quero.

Um perda e um ganho. Para ele ganho, mas restará apenas o lugar vazio.
Pensamentos entrelaçados fazem poesia e no fim, nada se entende a não ser ao som de uma leve música de fundo.
O céu chove sangue, e suas nunvens tão vermelhas não trazem mais o por do sol.
Nem estrelas, aquelas que nunca vi.

Recuperar velhos sentimentos as vezes nos faz bem, esquecer alguns as vezes nos faz melhor ainda.
No caso dele, esquecer, no dela, lembrar.
E como foi bom recordar o porque de estar ali, trancafiada em uma prisão sem grades ou paredes, livre para tudo... Enfim ela entendeu, novamente.

Voltar no tempo por uma noite e sentir aquela dor desnecessária na hora de dizer adeus.
Mas seu quarto continua bagunçado e ela se sente melhor assim, a organização não faz parte do que espera para os próximos dias.
E um pouco de medo.

Mas ela só pensa na letra da música, ela só quer dançar.

sexta-feira, 25 de março de 2011

Só hoje...

Esse sentimento de eterna solidão, da tristeza que que jamais se desfaz.
Pequenas coisas que me preenchem, fazem da minha alma tão translúcida e desgastada como tem sido desde então.
Não encontro motivos.
Perguntar se vale a pena chega a ser sarcástico, nunca houve um motivo que dissesse que valia.

Eu juro que tentei.
Busquei em olhos castanhos e dias ensolarados o que poderia motivar, fazer sorrir. 
Tudo uma mera ilusão, a noite voltou a cair e nem mesmo a lua conseguiu afastar a escuridão que cerca minha aura e me consome a cada instante.
Não há saída, as sombras giram em torno de mim e cada vez me sufocam mais, trazendo para dentro toda a tristeza e o obscuro que há fora.

Simplesmente não existe motivo.

E a vida inferno nesse sol quente que já me fez sorrir, agora me faz desejar que a eternidade acabe logo.
Mas só mais um dia que passa, trancafiada em mim mesma, presa em pensamentos que ficam suspendidos em uma nuvem que não posso alcançar.
Onde está você Freud, que não explica mais nada. 

Esperei tão ansiosamente por um pouco de tranquilidade depois de uma semana realmente dura, mas o que encontrei foi apenas um lugar vazio.
Sempre sozinha.



E então me resigno.

domingo, 20 de março de 2011

Anoiteceu em Campinas...


Hoje faz frio na cidade-inferno.
Acordei tarde.
Já passava um filme qualquer de animação quando meus pesadelos Freudianos deixaram em paz minha mente e minha realidade gritou bem alto: acabou o final de semana.

Droga, amanhã já é segunda e eu nem tive tempo o suficiente para digerir o que foi minha semana passada.

As vezes sinto um desespero nas noites de domingo, tudo me sufoca, tudo me machuca, e mais ainda, tudo me assusta.
O vento lá fora avisa para que eu me agasalhe amanhã, a cidade inferno vira cidade inverno quando faz frio.
E será mesmo que o dinheiro dará para dois copos de cerveja essa semana, daí eu me lembro que não bebo, então porque mesmo vou pagar o cover?
Ah sim, vou pagar o Cover.

"Eu preciso beber qualquer coisa, eu me lembro que eu não bebo, o que só nós dois sabemos nós sabemos que é segredo."

E minha contagem continua, 11 dias para conhecer o @1bertogessinger.
Mas e se não foi tudo isso, e se a decepção vier a galope e meu autografo se manchar? Eu sei que não conseguirei sanar nem sequer uma dúvida, não entregarei o presente, não falei muito mais do que obrigada, mas eu preciso tentar.
É o máximo perto possível que chegarei da felicidade antes que o mundo acabe.

E se o mundo acabar, será o mais próximo de felicidade até meu casamento.
Ah, sim meu namoro vai bem, apesar de ter ido mal semana passada.

Eu nem sei mais do que falava no início do post, agora estou com uma música que não sei o nome na cabeça, e a vontade de que o domingo volte para sexta e tudo se repita novamente.
Será que a Cris gostou de ir ao shopping comigo?

Ok, acho que tenho uma amiga na faculdade, e isso sim é relevante. Uma semana ruim que trouxe uma boa notícia.

Sim, eu não bebo, apesar de ter falado tanto sobre nada, mas quem disse que precisa ter sentido, só precisa ser bom.
Pelo menos essa noite minha cabeça não estará tão repleta das mesmas idéias.
E como queria falar com o HG essa noite.

terça-feira, 15 de março de 2011

Eu não tenho medo...

Se eu soubesse antes o que sei agora erraria tudo exatamente igual (8)



Rertornar? Quem pediu a resposta para tal pergunta fui eu.
Eu retornei, confesso que sem tempo, sem a mesma animação, mas a mesma garotinha que uma vez se abriu em um dia ensolarado estava lá.
Talvez com dor nas costas, mas ainda lá.
Mentiras, fingir que inventou alguém que não sou não é a melhor maneira de fugir de seus demonios, de seus dragões (como diria eu e meu melhor amigo Jake).
Não adianta se enganar meu amigo, porque como diria meu amigo Renato Russo 'mentir pra si mesmo é sempre a pior mentira'.

Eu lembrarei do seu nome e não esquecerei dos dias de sol, mas meu caminho não continuará, ele é diferente do que você imagina, ele já continuou. Encontros e despedidas, a plataforma dessa estação é a vida.
E quem disse que a contra mão é o lado errado? http://letras.terra.com.br/engenheiros-do-hawaii/45751/
De mãos vazias só não chega quem viveu.

Todos temos que seguir, felizes ou de mãos vazias. Não esqueça, modifique, guarde o que foi bom jogue fora o que restou.
Você perdeu as chances de fazer mais quando transformou isso em uma luta pessoal.
E as vezes em uma tarde onde olhos tristes e dolorosos te fitavam sem esperar nada.
Você quer um norte, eu lhe dou um: vá ser feliz e pare de se preocupar tanto.

Prometo que se houverem arrependimentos jamais os direi, já o fiz uma vez e trouxe tristeza a uma das pessoas que mais estimo e quero bem. Desculpe Rafa.
Se pergunte se você quer mesmo seguir uma estrada que não gosta. Modifique, o mundo gira e continua a girar...

Caros amigos, por fim concluo que as vezes vale mais a pena arriscar do que omitir, mas em um mundo onde não se pode contar com ninguém, ferir-se menos chega a ser bonito.

domingo, 13 de março de 2011

Eu te odeio...


Seu jeito de falar quando está irritado me irrita, sua voz forte me faz ter náuseas e seu cheiro me causa repulsa.

Escrevi mais de mil vezes essas mentiras, quando você me disse que uma mentira repetida mil vezes vira uma verdade, mas não se tornou.
Porque agora, aqui, quando eu deveria não desejar você ao meu lado, eu desejo. Queria ouvir sua voz suave quando feliz, sentir seu cheiro que me trás um misto de manhã de sábado chuvosa com tarde ensolarada de sexta.
Ver seus olhos noite adentro, chorando o mel mais doce a se imaginar.

Você me irrita, me faz desejar morte súbita, esquecer que tem mais alguma coisa pelo que lutar além desse seu comportamento infantil.

Queria você ao meu lado para me fazer esquecer meus problemas, jogar Rise of Nation e rir das besteiras da TV ou qualquer coisa assim.
Queria você aqui.
Pelo menos não tenho tanto medo dos pesadelos com você ao meu lado, e quando te vejo sorrir me esqueço do resto do mundo e penso que é só por isso que vale a pena lutar.


Paradoxal em todos os sentimentos, menos um.
Eu te amo com raiva, com amor, com alegria, com medo e acima de tudo, com toda minha alma e todo meu coração.